Como criar um ambiente integrado em sua casa

Publicado em 26/11/2020 por Marciane - Urbana

Ao contrário do que se pensa, os ambientes integrados não são uma moda passageira. Pelo contrário, eles começaram com os lofts na década de 70, que eram espaços industriais abandonados e posteriormente transformados em residências. Pelo fato de não possuírem paredes, eram incluídos biombos e outros meios de divisões para o quarto. Mas, de maneira geral, todo o local era integrado e consequentemente criava maior sensação de amplitude.


Com o passar do tempo, esse estilo conquistou arquitetos e designers, sendo ideal para quem gosta de modernidade e liberdade em seu espaço. Contudo, ainda que estejam cada vez mais presentes nos lares brasileiros, é comum surgirem dúvidas sobre como incluí-lo nas casas e apartamentos. Por isso, no post de hoje vamos passar todas as dicas para você criar um ambiente integrado em seu imóvel. Vamos lá?


1. Planejamento

Caso ainda esteja à procura de um imóvel com sua imobiliária, é importante deixar claro que você deseja uma casa ou apartamento em que seja possível realizar reformas. Isso porque, principalmente em prédios, reformas estruturais podem afetar os outros andares. Além disso, para auxiliar ao longo da reforma, é preciso criar um bom planejamento para não extrapolar o orçamento. Por isso, coloque no papel todos os gastos necessários e a ordem de prioridade, como a troca de móveis, piso e apenas por último os itens decorativos, como tapetes e almofadas.


2. Fluxo

Para ter um imóvel com conceito aberto é preciso avaliar ou pelo menos prever o fluxo do local. Ou seja, de que maneira as pessoas se movem no espaço tanto fisicamente quanto visualmente. Sendo assim, os móveis e demais elementos que serão incluídos devem ser posicionados estrategicamente para facilitar a locomoção dos usuários. Uma boa dica é traçar uma linha imaginária em formato de S e incluir os móveis dessa maneira para criar sensação de movimento e deixar o deslocamento mais simples.


Ainda que isso possa parecer um pouco difícil, saiba que é completamente possível deixar sua casa ainda mais aconchegante e charmosa.


3. Paleta de cores

Para que os ambientes integrados possam conversar entre si e promover harmonia no espaço, é preciso criar a paleta de cores ideal. Isso porque, ela será a responsável por promover um resultado agradável, sendo necessário pensar nas cores com antecedência e não apenas na hora de comprar os móveis.


Ainda que você possa seguir seus gostos pessoais, uma boa dica para não misturar muitos estilos é utilizar uma cor base. Ou seja, uma cor que será o destaque do espaço como um todo, sendo recomendado utilizar tons neutros, como cinza, areia, branco, etc. Somente depois você pode escolher as cores dos detalhes, como almofadas, tapetes, utensílios domésticos, luminárias, etc. Lembre-se que as cores não precisam ser iguais, mas sim conversarem entre si.


4. Materiais e móveis

Assim como a paleta de cores, é essencial que os móveis também estejam em harmonia, por meio das cores, formatos, texturas ou estofado. Por exemplo, caso opte por um móvel de madeira mais escura na sala de jantar, uma boa opção é utilizar o mesmo tipo de madeira na sala e nas banquetas da cozinha. Ou também, caso opte por MDF branco, siga o mesmo estilo nos demais espaços da casa. Com isso, será mais fácil enxergar o ambiente como um verdadeiro espaço integrado e não apenas uma tentativa falha.


5. Iluminação

Em ambientes integrados, utilizar apenas um ponto de luz no centro do espaço, não é uma boa opção, visto que não será uma iluminação uniforme, além de não ficar agradável esteticamente. Sendo assim, utilize pontos de iluminação específicos para cada espaço, como um pendente na sala de jantar. Spots embutidos ou até mesmo sancas de gesso, são maneiras de iluminar todo o ambiente ou somente a sala de TV de forma discreta e eficaz. Além disso, os trilhos com spots móveis também podem ser uma boa opção para iluminar espaços específicos.


6. Piso

É importante levar em conta o efeito que cada estilo de revestimento pode causar no ambiente para, novamente, criar uma única identidade visual. Sendo assim, você pode optar por um único revestimento e delimitar os espaços com tapetes. Além disso, ainda é possível escolher revestimentos diferentes, mas que sejam comuns nos ambientes integrados. No entanto, caso seu espaço seja pequeno é preciso tomar cuidado para que não o deixe ainda menor. Portanto, escolha pisos que sejam parecidos e conversem entre si, pois assim irão promover sensação de amplitude, mesmo que não sejam iguais.


Portanto, ao criar um planejamento sólido e seguir todas essas dicas temos certeza que seu ambiente integrado será um sucesso. Para promover ainda mais charme para o local, não se esqueça de utilizar os objetos de decoração alinhados ao visual, como luminárias, tapetes, almofada, etc. Com isso, você irá deixar o espaço mais aconchegante e melhorar significativamente sua qualidade de vida.